Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Não me deixe só (apelo à poesia)

Muitas vezes guardo o choro e a dor.
Não desejo revelá-los, pertencem a mim.
Não interessam a mais ninguém.
Só os entrego à poesia.
Somente ela me conhece verdadeiramente.
Como explicaria o que se passa por dentro?
São tantas incertezas, descaminhos, pedregulhos.
Ela me entende e serena minh'alma.
Mas eu não preciso entendê-la, apenas senti-la.
Viver entre seus versos. E ela em mim.
Este é o nosso pacto.
Não me deixe só neste mundo de hipocrisias.
Neste mundo de mentiras e injustiças.
Sabe de minhas fraquezas, de minhas tristezas,
de meus ais.
Sabe que sou parte disso, mas nisso não quero pensar.
Sabe também que tenho no peito um músculo,
que bate involuntariamente e que é frágil e inconstante.
Não o fiz assim. Ele é assim.
Daria a vida para tê-lo mais forte, decidido.
E que não sentisse tanto. Impossível.
Quem sabe noutra existência?
Há tantas estrelas por aí, mas por ora tenho de ficar aqui.
Oh, Deus, por que pessoas pisam nos corações umas das outras?
Não pisam apenas. Sapatei…

Ouvir estrelas II

"Amai para entendê-las."

Uma estrela disse-me um dia,
Quando estava triste,
Que a vida é uma dádiva,
um tesouro, um presente.

Que o amor
É o bem amor que existe no mundo
E que para realizar o sonho verdadeiro,
Primeiro, tem que desejar lá do fundo.

Disse-me também que a felicidade
Está dentro de cada coração,
Esperando ser descoberta,
Para mostrar-nos que nada é em vão.

Uma estrela salvou-me
De mim mesmo,
Iluminou o meu caminho
E me fez outra vez ser menino.

***

Ouvir estrelas

http://limelo.blogspot.com.br/2014/01/ouvir-estrelas.html

Tudo haverá de passar

A dor haverá de passar.
Sim, mas quando?
Pergunto-me.
É tão forte, tão intensa, tão cortante.
Ok, sei, ela haverá de passar.
Só precisa de tempo.
Há um tempo para tudo.
Sim, o tempo.
Só ele pode aplacá-la.
Não posso fugir.
Pelo contrário, tenho que encará-la.
Devo suportá-la.
O pior é ter que sorrir
Sem deixar essa dor refletir em meus olhos.
Impossível.
Ela transborda, derrama.
Mas é minha dor, pelo menos hoje.
Não posso arrancá-la do peito.
Não posso contê-la.
Não posso impedi-la de sangrar.
Amanhã talvez ela já não seja a mesma,
Já não tenha a mesma intensidade.
Eu também não serei o mesmo quando o sol surgir outra vez.
Isso é o que me conforta.
Talvez amanhã essa dor seja apenas uma cicatriz,
Uma lembrança distante de algo que, "ontem", dilacerou meu coração.
Mas hoje, não.
Hoje ela queima, arde, sangra
Tudo ao mesmo tempo.
Hoje ela é dor, simplesmente.
A minha dor.
Só hoje.

Encontro do sol e da lua

Não só de palavras vive a poesia.

Tartarugas

Dar à luz um poema

As entranhas em ebulição.
Caneta, papel, teclas
ao alcance das mãos.
O poema quer nascer.
Quer conhecer o mundo,
Ver as estrelas, o mar,
A vida externa.
Já não cabe dentro da alma.
Quer voar, pousar na flor,
Tal qual borboleta
ou colibri apaixonado,
quer beijar...
Mesmo que seja a tez do word.
Oh, sim!
Como virá à tona não lhe é importante,
se da tinta de uma caneta
ou das teclas de um computador.
Nascer é só o que ele quer.
E ser livre,
ser amor, ser dor,
ser protesto, resistência.
ser esperança.
ser sonho, ser possível.
Realizar-se poesia.
Ser, simplesmente.

Tic-tac, tic-tac, tic-tac...

Pronto, nasceu.
Libertou-se, bateu asas.
Pousou sutil, leve como a brisa
num diário solitário.
No olhar de alguém
do outro lado da tela, do outro lado do oceano.
Olhos cintilaram.
Corações foram tocados.
Um novo universo surgiu.
O poema está em festa,
Viverá.

Mire, menino!

Olhe, menino! Eleve seus olhos ao céu. Veja este azul. Veja que paz ele transmite! Mire! Olhe as estrelas, elas também olham para e por você, querem brincar. Querem ver seu sorriso, seu riso sem preocupação. Querem vê-lo muito feliz. Sonhe, menino! Acredite que tudo é possível. Não fique triste nem por um segundo enquanto é menino. Não há tempo para isto agora. Não deixe sair de seus olhos estas estrelas. Contemple-as sem pressa. E não se esqueça nunca deste momento. Eternize-o em seu coração.

Mire, menino! É a vida presente aqui. Cada minuto vivido não se repetirá. Tudo muda. Tudo é passageiro. Deseje, peça ao céu e ele concederá tudo que você quiser. Preencha sua alma, menino. Cubra-a com amor. Faça parte, pertença! Doe carinho e afeto, e aceite-os de bom grado. Esta é a vida, menino. Talvez você não possa entendê-la agora. Talvez não consiga entender o que falo sobre ela. Em alguns momentos ela vai maltratá-lo, fazê-lo sofrer, chorar, sentir raiva, dor. Uma dor que você, por mais qu…

Descaminhos

Olhava aquele rosto estranho de olhos grandes e esverdeados, refletidos em um caco de espelho que trazia na mão esquerda, suja e insegura. Não se reconhecia.

De repente, viu-se ali, diante de uma pessoa que não era ele. Sim, parecia-se com ele, tinha seus traços, seu sorriso, suas marcas. Sua essência, no entanto, ficara pela longa estrada pela qual caminhara sem saber aonde queria chegar. Em alguns momentos tentou voltar ao ponto de partida, mas para onde fora só existiam labirintos. E estava condenado a vagar por eles. Mas o que ou quem era ele de fato, se não era o que via no pedaço de espelho? Como se chamava? Quantos anos lhe pesavam sobre o corpo esquelético e imundo? Do que gostava? O que fazia naquele lugar frio e por que sua cabeça não conseguia ordenar as ideias? E por que o reflexo no espelho era uma imagem deformada e sem sentido? Ele não sabia. Não sabia porque, numa noite de um ano qualquer, sem perceber, perdera completamente a razão. Na sequência se foram a bela namorad…

Só para dizer que te amo!

Num fim de tarde de uma tarde de cor laranja, 
Entre lágrimas, muitas lágrimas, disse adeus e parti.
Distante de você muita saudade senti.
Mesmo triste sabia que tinha de seguir,
Encontrar meu caminho,
Meu segundo lugar no mundo
O primeiro, bem sei, é o seu coração. 
É o seu colo de mãe.
Mas você me deu asas e me disse:
- Voe alto, minha filha!
Oh, Deus! Se existe oração mais linda, ainda não ouvi.
E eu voei, voei, voei.  Ainda estou voando.
Muitas vezes, fraquejei, sofri, chorei,
Perdi as asas, caí, espatifei-me no chão.
Nesses momentos, porém, me lembrava de você.
Da força que carrega na alma.
Dos conselhos feitos de sábias palavras.
Dos olhos de anjo a me guardar mesmo de longe.
Da leveza do toque de suas mãos.
Do cuidado e do sorriso iluminado.
Então, ganhava as alturas outra vez.
Hoje, neste dia especial, o que posso dizer que você ainda não sabe?
Que queria lhe dar o mundo,
Mas só tenho um coração?
Que queria lhe dar a luz das estrelas,
E tenho apenas um par de olhos bem pequenos?
Ok, está dito.
P…

Ao sabor do vento

As estrelas que brilharam no infinito do meu ser
Já eram fragmentos sem razão.
O que me restava? 
Lembranças em flashback.

Onde foi que me perdi? 
Não sei.
Quando foi que parei de acender minhas estrelas?
Quando foi que me olvidei de ver a vida
E sua beleza? 

Que surpresa!

"Talvez foi quando começou a amar", sussurrou meu coração
Que contradição.
Imaginava que o amor
Me tornasse especial. 
Que pena!
Havia algo errado com meu coração.

"Então o amor é assim: a morte de um para a vida de outro ego?",
Mais uma vez questionou meu interior em frangalhos
Definitivamente não entendia. 
Sentenciei-me então
A não mais amar. 

Até que...

Em novos olhos brilharam outras estrelas,
E em meu peito fez brotar novo amor.
Reacendi as minhas (estrelas), 
Que meu coração incendiaram.

Encontrei-me.
Com certeza, 
Para outra vez me perder.

Gira mundo

Gira o mundo,
Leva a vida,
Leva longe,
Muito longe.
Gira o mundo,
Leva além,
Muito além 
Do horizonte.

Gira o mundo, 
Gira a cabeça,
Dilacera o coração.
Gira sempre
Sem demora
Transforma sonho
Em ilusão.

Gira o mundo, 
Fico tonto,
A ponto
De me perder.
Noutro canto 
Me encontro,
Pronto 
Para viver.

Seja aqui 
Seja lá.
Brevidade,
Eternidade.
Aonde quer 
Que eu vá
Buscarei 
A felicidade.

Não importa
Quantas vezes
O mundo 
Vai girar,
Tampouco 
Em quantos pedaços 
O coração 
Vai se quebrar.

Aonde o ocaso
Me levar,
Irei.
Morrerei, se preciso,
Renascerei, 
outra vez, amigo,
Quando o Sol,
Na manhã, 
Despontar.

Ouvir estrelas

Sob o pisca-pisca das estrelas ela caminha,
Enquanto caminha, recorda, se entristece, chora.
Olha uma estrela, questiona:
- Por que me olha?
A estrela responde: - Porque é linda menina.
Ela se surpreende.
"Estrelas não falam", pensa ela
"Como posso tê-la ouvido?"
Pronto. Já esqueceu o que lhe afligia a alma.
Agora mais calma ela para,
Olha novamente a estrela, outra vez a pergunta,
Em seguida a resposta.
Ela sorri, apesar de confusa sente-se feliz.
Está falando com uma estrela, não é normal,
É estranho, mas se sente especial, afinal
Sempre admirou estrelas,
Agora conversa com uma delas.
- Será um sonho? Ela se belisca.
- Não, é real, insiste a estrela: - Acredite menina,
Nesta vida o impossível não existe.
Seremos amigas e confidentes,
Hoje, amanhã, eternamente.