Pular para o conteúdo principal

Postagens

O mundo é uma janela

O mundo é uma janela...
cada um vê a vida
por meio dela.
Tem gente que
a mantêm fechada,
tem gente que
a deixa sempre aberta...
Simplesmente porque
não quer perder
nenhum segundo
das vezes em que ela é
incrivelmente bela.

s.melo
Postagens recentes

A vida

A vida, meu amigo, minha amiga. A vida segue e seguirá sempre, independentemente de quem chega, de quem parte ou de quem fica. A vida continua... Às vezes,  em tons de cinza.  Às vezes, multicolorida. Genuinamente linda. Lindamente rica. s.melo

Se eu morrer antes de você...

Se eu morrer antes de você...
Se eu morrer antes de você, faça-me um favor: chore o quanto quiser, mas não brigue comigo. Se não quiser chorar, não chore. Se não conseguir chorar, não se preocupe. Se tiver vontade de rir, ria. Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, ouça e acrescente sua versão. Se me elogiarem demais, corrija o exagero. Se me criticarem demais, defenda-me.  Se me quiserem fazer um santo, só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, mas estava longe de ser o santo que me pintam. Se me quiserem fazer um demônio, mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo... E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim, diga apenas uma frase: -"Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!" Aí, então derrame uma lágrima. Eu não estarei presente para enxugá-la, mas não faz mal. Outros amigos farão isso no meu lugar. Gostaria de dizer para você …

Chama

Paixão é chama.
E quando ela chama,
não há ser humano
no mundo que não vá...
Mesmo sabendo
que de repente
ela se apagará,
será cinzas ao vento,
uma lembrança distante
num cantinho escondido
dentro do  peito.

s.melo

A bailarina apaixonada

Por Sueli Melo

Conheceram-se. Ele, bonito, inteligente, educado. Ela, amável, intensa, misteriosa. No início havia sentimento, paixão. Mais forte de um lado, o dele. Ele cantava seu amor aos quatro cantos do mundo. Ela mantinha-se quieta, não tinha certeza de nada. Aos ouvidos dela, ele falava de amor. Falava-lhe de eternidade. Ela seguia confusa, dizia o que ele queria ouvir. Chorava, porque não sabia dizer não.
Com o tempo que a tudo devora, ela percebeu que talvez aquele amor, já não fosse real. Ele a protegia demais. Dava-lhe tudo o que ela queria. Cobria-lhe de luxo, de presentes. Mas ela sentia que aquilo não lhe preenchia a alma como sonhara, embora, a seu modo, o tenha amado um dia. Tinha-lhe respeito, admiração, carinho e gratidão. Ela sabia também que isso não era o bastante para ser feliz. A vida devia ter muito mais a lhe oferecer. Ela sonhava. Além disso, não era o que ele queria. Ele a desejava só para si. O sentimento de posse e o ciúme o consumiam.


Ela se sentia uma baila…