Pular para o conteúdo principal

Mire, menino!

Olhe, menino! Eleve seus olhos ao céu. Veja este azul. Veja que paz ele transmite! Mire! Olhe as estrelas, elas também olham para e por você, querem brincar. Querem ver seu sorriso, seu riso sem preocupação. Querem vê-lo muito feliz. Sonhe, menino! Acredite que tudo é possível. Não fique triste nem por um segundo enquanto é menino. Não há tempo para isto agora. Não deixe sair de seus olhos estas estrelas. Contemple-as sem pressa. E não se esqueça nunca deste momento. Eternize-o em seu coração.

Mire, menino! É a vida presente aqui. Cada minuto vivido não se repetirá. Tudo muda. Tudo é passageiro. Deseje, peça ao céu e ele concederá tudo que você quiser. Preencha sua alma, menino. Cubra-a com amor. Faça parte, pertença! Doe carinho e afeto, e aceite-os de bom grado. Esta é a vida, menino. Talvez você não possa entendê-la agora. Talvez não consiga entender o que falo sobre ela. Em alguns momentos ela vai maltratá-lo, fazê-lo sofrer, chorar, sentir raiva, dor. Uma dor que você, por mais que tente, não vai conseguir explicar nem fazê-la desaparecer por um certo período de tempo. Escute, menino, não há como fugir disso. Mais cedo ou mais tarde você vai se dar conta de que a realidade é densa, cruel e complexa. Mas isso é para depois. Nesse tempo de menino, o seu universo tem de ser lindo, coberto de estrelas atrevidas a piscar sem parar, a dançar sobre sua cabeça, a iluminar o seu olhar. Aproveite, menino, porque em seu mundo de menino você poderá viajar para infinitos lugares e será imensa e eternamente feliz por ter experimentado tudo isso. Pode ser que você se perca pelo caminho, que talvez seja longo, mas que é, verdadeiramente, incerto. Porém, se você guardar dentro do coração fragmentos de cada bom momento vivido, tudo, mas tudo mesmo, será mais fácil.

Olhe, menino! É a vida! Não, não corra! Também não fique parado. Siga tranquilo. Ande no compasso do tempo. No seu tempo. Viva sem medo todas estações - primaveras, verões, outonos e invernos. E quando não for mais menino, senão um homem feito, lembre-se de que a magia (de ser criança) nunca morre. Viverá para sempre em seus olhos até quando o "sempre" lhe for possível. E mesmo que você envelheça e sinta seu corpo se curvar pelo peso dos anos, ainda assim, continuará com olhos de menino a ver e viver a vida como se tivesse milhões de estrelas, aquelas atrevidas, piscantes e dançantes, ao seu redor. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Despertar das borboletas

Coração te viu há um tempão,
mas a princípio sentiu nada, não.
Um dia, como outro
qualquer no mundo,
mergulhou nos olhos teus...
E naquela cena de segundos,
percebeu que havia algo ali,
até então desconhecido...
E foi assim, com aceleradas
e ruidosas batidas, no cantinho
esquerdo do peito,
pela alegria da descoberta,
que ele despertou aquelas
preguiçosas borboletas,
há muito tempo dentro
de mim adormecidas.

s.melo

O mundo é uma janela

O mundo é uma janela...
cada um vê a vida
por meio dela.
Tem gente que
a mantêm fechada,
tem gente que
a deixa sempre aberta...
Simplesmente porque
não quer perder
nenhum segundo
das vezes em que ela é
incrivelmente bela.

s.melo

Dar à luz um poema

As entranhas em ebulição.
Caneta, papel, teclas
ao alcance das mãos.
O poema quer nascer.
Quer conhecer o mundo,
Ver as estrelas, o mar,
A vida externa.
Já não cabe dentro da alma.
Quer voar, pousar na flor,
Tal qual borboleta
ou colibri apaixonado,
quer beijar...
Mesmo que seja a tez do word.
Oh, sim!
Como virá à tona não lhe é importante,
se da tinta de uma caneta
ou das teclas de um computador.
Nascer é só o que ele quer.
E ser livre,
ser amor, ser dor,
ser protesto, resistência.
ser esperança.
ser sonho, ser possível.
Realizar-se poesia.
Ser, simplesmente.

Tic-tac, tic-tac, tic-tac...

Pronto, nasceu.
Libertou-se, bateu asas.
Pousou sutil, leve como a brisa
num diário solitário.
No olhar de alguém
do outro lado da tela, do outro lado do oceano.
Olhos cintilaram.
Corações foram tocados.
Um novo universo surgiu.
O poema está em festa,
Viverá.