Pular para o conteúdo principal

O que vejo da vida

A vida começa todos os dias. A cada dia somos apresentados a novos horizontes, novas possibilidades. Por isso, não importa se hoje foi de chuva, se fez calor, se a gente brigou com alguém que ama. Sempre se pode mudar as coisas ao redor.

Não somos perfeitos. Erramos e acertamos, sofremos e fazemos sofrer, choramos. Muitas vezes nos sentimos desmotivados, sem vontade de seguir adiante. E várias perguntas passeiam por nossa cabeça: "por que estou aqui?" "Qual é o meu propósito neste mundo?" "Por que minha vida é assim?" "Por que sofro? As respostas nem sempre se mostram claras. As perguntas vêm e vão e a vida também se vai desse jeito. Ainda assim, vale a pena.

Há tantos ministérios, tantas coisas por descobrir, em nós e no outro, ao descortinar de cada manhã. Mesmo que não haja sentido (aparentemente), em algum momento a gente encontra um significado. Seja ao estender a mão a alguém, seja ao alcançar um objetivo, seja simplesmente por nos sentirmos vivos.

Viver é mais do que existir. É mais do que sentir o peito explodir em uma alegria sem tamanho ou se despedaçar pelo que os olhos veem. Pela violência gratuita, pelo medo, pelos abusos diversos, por tudo que dói na alma e também no corpo.

A vida é mais do que nos é apresentado. É mais que raiva, dor, angústia, solidão. A vida é feita de pequenas coisas que formam um todo. Assim como o universo. Somos apenas uma parte. As manhãs de primavera, as doces tardes zuis de outono, amor, felicidade, tristeza, desejo de mudança - tudo se completa. E apesar das noites escuras e céus sem estrelas, falta de empatia e de luz, a vida se faz bela. É a complexidade do que somos e vivemos que nos torna únicos. Não vamos fechar os olhos. Deixemos fluir, independentemente do que aconteça. 

Vejo coisas no mundo que machucam o meu ser. Que me fazem pensar que tudo é tão triste e tão pesado. Vejo ignorância, intolerância, gente que mata e morre por tão pouco - quase nada. Mas também vejo beleza em tantas atitudes, em corações e olhos tão serenos. Vejo dor, mas também esperança. Vejo que tudo é possível. Que é possível seguir na direção do amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O mundo é uma janela

O mundo é uma janela...
cada um vê a vida
por meio dela.
Tem gente que
a mantêm fechada,
tem gente que
a deixa sempre aberta...
Simplesmente porque
não quer perder
nenhum segundo
das vezes em que ela é
incrivelmente bela.

s.melo

Despertar das borboletas

Coração te viu há um tempão,
mas a princípio sentiu nada, não.
Um dia, como outro
qualquer no mundo,
mergulhou nos olhos teus...
E naquela cena de segundos,
percebeu que havia algo ali,
até então desconhecido...
E foi assim, com aceleradas
e ruidosas batidas, no cantinho
esquerdo do peito,
pela alegria da descoberta,
que ele despertou aquelas
preguiçosas borboletas,
há muito tempo dentro
de mim adormecidas.

s.melo

Não me deixe só (apelo à poesia)

Muitas vezes guardo o choro e a dor.
Não desejo revelá-los, pertencem a mim.
Não interessam a mais ninguém.
Só os entrego à poesia.
Somente ela me conhece verdadeiramente.
Como explicaria o que se passa por dentro?
São tantas incertezas, descaminhos, pedregulhos.
Ela me entende e serena minh'alma.
Mas eu não preciso entendê-la, apenas senti-la.
Viver entre seus versos. E ela em mim.
Este é o nosso pacto.
Não me deixe só neste mundo de hipocrisias.
Neste mundo de mentiras e injustiças.
Sabe de minhas fraquezas, de minhas tristezas,
de meus ais.
Sabe que sou parte disso, mas nisso não quero pensar.
Sabe também que tenho no peito um músculo,
que bate involuntariamente e que é frágil e inconstante.
Não o fiz assim. Ele é assim.
Daria a vida para tê-lo mais forte, decidido.
E que não sentisse tanto. Impossível.
Quem sabe noutra existência?
Há tantas estrelas por aí, mas por ora tenho de ficar aqui.
Oh, Deus, por que pessoas pisam nos corações umas das outras?
Não pisam apenas. Sapatei…