O que vejo da vida

A vida começa todos os dias. A cada dia somos apresentados a novos horizontes, novas possibilidades. Por isso, não importa se hoje foi de chuva, se fez calor, se a gente brigou com alguém que ama. Sempre se pode mudar as coisas ao redor.

Não somos perfeitos. Erramos e acertamos, sofremos e fazemos sofrer, choramos. Muitas vezes nos sentimos desmotivados, sem vontade de seguir adiante. E várias perguntas passeiam por nossa cabeça: "por que estou aqui?" "Qual é o meu propósito neste mundo?" "Por que minha vida é assim?" "Por que sofro? As respostas nem sempre se mostram claras. As perguntas vêm e vão e a vida também se vai desse jeito. Ainda assim, vale a pena.

Há tantos ministérios, tantas coisas por descobrir, em nós e no outro, ao descortinar de cada manhã. Mesmo que não haja sentido, aparentemente, em algum momento a gente encontra um significado. Seja ao estender a mão a alguém, seja ao alcançar um objetivo, seja simplesmente por nos sentirmos vivos.

Viver é mais do que existir. É mais do que sentir o peito explodir em uma alegria sem tamanho ou se despedaçar pelo que os olhos veem. Pela violência gratuita, pelo medo, pelos abusos diversos, por tudo que dói na alma e também no corpo.

A vida é mais do que nos é apresentado. É mais que raiva, dor, angústia, solidão. A vida é feita de pequenas coisas que formam um todo. Assim como o universo. Somos apenas uma parte. As manhãs de primavera, as doces tardes zuis de outono, amor, felicidade, tristeza, desejo de mudança - tudo se completa. E apesar das noites escuras e céus sem estrelas, falta de empatia e de luz, a vida se faz bela. É a complexidade do que somos e vivemos que nos torna únicos. Não vamos fechar os olhos. Deixemos fluir, independentemente do que aconteça. 

Vejo coisas no mundo que machucam o meu ser. Que me fazem pensar que tudo é tão triste e tão pesado. Vejo ignorância, intolerância, gente que mata e morre por tão pouco - quase nada. Mas também vejo beleza em tantas atitudes, em corações e olhos tão serenos. Vejo dor, mas também esperança. Vejo que tudo é possível. Que é possível seguir na direção do amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maria e José

É preciso insistir - sempre

Adeus, João de Deus