Das lembranças de Minas


E se você me perguntar
o que não esqueço,
direi sem demora
e sem qualquer tropeço:
das lembranças de Minas
de quando eu era pequenina.
Da família querida e companheira,
das noites de lua e estrelas,
das manhãs serenas e frescas,
dos girassóis e das borboletas,
das tardes laranjas e de outras belezas.
Foi lá que contruí a essência
que levarei por toda e existência.

s.melo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maria e José

É preciso insistir - sempre

Adeus, João de Deus