Pular para o conteúdo principal

Onde foi parar a paz?

Onde foi parar a paz?
Tudo é conflito.
Tudo é tão confuso,
Há tantos olhos tristes
E tantos sorrisos disfarçados.
Onde foi parar a alegria, a esperança,
A vontade de viver e ser feliz
Tudo passa tão rápido,
Quando nos damos conta,
já não temos mais tempo,
Então nos perguntamos
Será que realmente vale a pena viver assim,
Longe da paz, longe do verdadeiro amor,
Longe de tudo aquilo que nos alegra a alma?
Então nada faz sentido,
Nos desesperamos, sofremos,
Achamos que nada tem valor.
Mas uma coisa é certa,
Mesmo que tudo pareça perdido,
A vida tem sempre uma nova chance
Para oferecer, só precisamos estar dispostos a aceitá-la.
E se olharmos lá no fundo do nosso coração
Veremos então que tudo estava todo o tempo lá
Bem guardadinho, o amor e a paz
Não vemos porque fingimos que não existem
Procuramos coisas supérfluas no mundo exterior,
Achando que ali está a nossa alegria,
Mas com toda certeza, o melhor da vida
Está dentro de cada ser

Li Melo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O mundo é uma janela

O mundo é uma janela...
cada um vê a vida
por meio dela.
Tem gente que
a mantêm fechada,
tem gente que
a deixa sempre aberta...
Simplesmente porque
não quer perder
nenhum segundo
das vezes em que ela é
incrivelmente bela.

s.melo

Despertar das borboletas

Coração te viu há um tempão,
mas a princípio sentiu nada, não.
Um dia, como outro
qualquer no mundo,
mergulhou nos olhos teus...
E naquela cena de segundos,
percebeu que havia algo ali,
até então desconhecido...
E foi assim, com aceleradas
e ruidosas batidas, no cantinho
esquerdo do peito,
pela alegria da descoberta,
que ele despertou aquelas
preguiçosas borboletas,
há muito tempo dentro
de mim adormecidas.

s.melo

Não me deixe só (apelo à poesia)

Muitas vezes guardo o choro e a dor.
Não desejo revelá-los, pertencem a mim.
Não interessam a mais ninguém.
Só os entrego à poesia.
Somente ela me conhece verdadeiramente.
Como explicaria o que se passa por dentro?
São tantas incertezas, descaminhos, pedregulhos.
Ela me entende e serena minh'alma.
Mas eu não preciso entendê-la, apenas senti-la.
Viver entre seus versos. E ela em mim.
Este é o nosso pacto.
Não me deixe só neste mundo de hipocrisias.
Neste mundo de mentiras e injustiças.
Sabe de minhas fraquezas, de minhas tristezas,
de meus ais.
Sabe que sou parte disso, mas nisso não quero pensar.
Sabe também que tenho no peito um músculo,
que bate involuntariamente e que é frágil e inconstante.
Não o fiz assim. Ele é assim.
Daria a vida para tê-lo mais forte, decidido.
E que não sentisse tanto. Impossível.
Quem sabe noutra existência?
Há tantas estrelas por aí, mas por ora tenho de ficar aqui.
Oh, Deus, por que pessoas pisam nos corações umas das outras?
Não pisam apenas. Sapatei…