A tal esperança

Tenho vontade, 
às vezes, 
de abandonar,
numa esquina 
qualquer do meu ser,
essa tal esperança 
que insiste em viver
comigo.
***
Porque embora às vezes
ela seja alento e ilumine
como um farol na noite escura,
outras, ela pode ser apenas
vã expectativa
que se arrasta
por toda uma vida.





Comentários

  1. A esperança é o espelho do cego.
    GK

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E às vezes é só o que resta, né? Abs, Gugu.

      Excluir
  2. Será que esta esperança que abandonastes na esquina,
    Foi a que encontrei hoje à noite em minha poesia?
    (Choquei-me com a coincidência haha)

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha é verdade e nem me atentei quando li.Que legal esta coincidência. :)
      Bjs.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Maria e José

É preciso insistir - sempre

Adeus, João de Deus